Construvendas

Entre em contato conosco!

Voltar

Que tipo de grama usar na minha construção?

Publicado por Construvenda,
14 de novembro de 2018

Que tipo de grama usar na minha construção?

Para sair da regra do ditado “a grama do vizinho é sempre mais verde”, você precisa saber escolher o tipo de grama mais adequado para seu projeto.  E para não errar na escolha, conheça abaixo os mais diversos tipos de gramado:

ESMERALDA

Essa é uma espécie relativamente nova no Brasil, já que a grama esmeralda teve sua origem no Japão e foi implementada em terras brasileiras por volta da década de 1970. E apesar de ser recente, a grama esmeralda já foi bem difundida e é uma das mais utilizadas no país.

Características: esse tipo de grama tem a folha mais fininha e estreita, cor verde esmeralda e crescimento lento.

Local indicado: essa espécie é bem resistente a pisoteios e por isso pode ser plantada em modelos de jardins com passagens no meio. Além disso, a espécie ainda tem boa adaptação e vai bem até mesmo em ambientes sombreados, podendo ocupar o espaço entre as árvores do jardim.

Plantio/manutenção: o plantio é simples e basta ter um terreno limpo e dispor os tapetes de grama pelo terreno. Já a manutenção exige pouca poda pelo crescimento lento, resiste a secas e depende de pouca água, no entanto, não é um tipo de grama indicado para regiões frias.

BERMUDA

Características: as folhas finas são a principal característica desse tipo de gramado que tem crescimento rápido e boa formação.

Local indicado: para quem pretende gramar um campo esportivo (golfe, futebol, polo), pode apostar na grama bermuda. Essa espécie tem altíssima resistência a pisoteios e, por se reconstituir rapidamente, é ideal para o uso esportivo.

Plantio/manutenção: para quem pretende investir entre os tipos de grama com boa adaptação, pode apostar na espécie bermuda que adapta-se tanto a clima frio como quente e tem boa tolerância a insetos. Já a manutenção é um pouquinho mais complicada, já que o rápido crescimento exige mais podas e para garantir um gramado verde e saudável, as regas devem ser frequentes.

BATATAIS           

Características: a principal característica deste gramado são as folhas estreitas e a resistência a pisoteios, o que a torna boa opção para locais onde as pessoas tendem a andar sobre o gramado.

Local indicado: a indicação é algo coringa, e a grama pode ser uma aposta tanto para compor jardins pequenos, grandes e até para usos esportivos. Além disso, esse gramado ainda é uma ótima escolha para regiões com erosão, já que o plantio tende a reter o processo erosivo.

Plantio/manutenção: para o plantio, é preciso considerar um local a plena luz do sol e longe de regiões frias. O solo pode ser ácido, com baixa fertilidade e exige pouco volume de água. Em relação à manutenção, o processo é simples, já que não existe muita rega e a poda não precisa ser frequente.

SÃO CARLOS

Características: o gramado denso é a principal característica dessa espécie que tem folhas largas e lisas.

Local indicado: a alta tolerância a pisoteios permite que a grama São Carlos seja usada desde amplos jardins, até em espaços esportivos, como campos de futebol.

Plantio/manutenção: para o plantio, é preciso escolher um lugar em plena luz solar ou a meia sombra, mas nunca em sombra total. O solo não exige boa drenagem e a espécie é resistente até mesmo a solos encharcados. Já a manutenção é simples, uma vez que o gramado São Carlos resiste bem a pragas, e seu lento crescimento torna as podas espaçadas.

SANTO AGOSTINHO OU INGLESA

Características: mais um tipo de gramado denso, essa espécie é muito conhecida pelas folhas lisas, pontas arredondadas e com tonalidade levemente azulada.

Local indicado: o local mais adequado para esse tipo de grama é em áreas litorâneas, já que a espécie tem boa tolerância a salinidade do solo. A resistência a pisoteios é mediana, e não é adequada para locais com muito fluxo, sendo o ideal para paisagismo.

Plantio/manutenção: o solo para plantio não deve ser muito seco, e a espécie deve ser plantada em sol ou meia sombra. Já a rega não exige frequência, mas para o amplo desenvolvimento do gramado, o ideal é ter regas regulares.

COREANA, JAPONESA, MASCARENHA OU VELUDO

Características: apesar das variedades de nomes, as espécies são a mesma e representam um gramado de folhas macias e finas.

Local indicado: para o uso dessa espécie, a melhor opção é incluir a grama coreana em jardins de pouco/nenhum fluxo, já que a espécie tem baixa tolerância a pisoteios.

Plantio/manutenção: a escolha do solo deve levar em conta uma terra enriquecida e com irrigação frequente, e o plantio deve ser feito a plena luz do sol. Como já vimos, a manutenção exige muita rega e pouca poda por conta do crescimento lento.

MISSIONEIRA OU CARPETE

Características: o gramado tem formação rápida e folhas bem verdinhas e um pouco mais largas.

Local indicado: o local para plantar pode ser bem variado, já que resiste a pisoteios e tem rápida regeneração, o que torna o uso possível para jardins, campos de futebol ou espaços esportivos e até como pasto permanente para os animais.

Plantio/manutenção: para quem é de região fria e com geadas, pode considerar essa grama missioneira para plantio, uma vez que a espécie se desenvolve muito em baixas temperaturas. A escolha do solo também não exige muito, e a espécie vai bem em terras úmidas e com pouca fertilidade.

PRETA OU NEGRA

Apesar de estar classificada como um dos tipos de grama, a verdade é que a espécie não é uma gramínea, mas pode ser uma boa opção para forrações. Por isso incluímos ela entre as espécies para compor espaços gramados.

Características: a espécie lembra um pequeno arbustinho com folhas finas e escuras que, em pleno desenvolvimento, podem até dar pequenos frutos.

Local indicado: a indicação se restringe unicamente a ornamentação de jardins, já que não tem resistência a pisoteios e pode ser danificada em locais de passagem.

Plantio/manutenção: o plantio pode ser feito em diversos tipos de solo, uma vez que a planta tem boa adaptação. Para plantar a espécie, ainda é preciso considerar um espaço com incidência direta do sol ou com um pouco de sombra. A manutenção é simples, já que o modelo tem crescimento rápido, mas não exige muitas podas e resiste a secas e calor intenso, dispensando a rega frequente.

AZUL

Características: mais uma espécie bem parecida com um pequeno arbusto, a grama azul recebe esse nome por conta da coloração que segue uma tonalidade verde-azulada, e que pode ser ainda mais intensa em regiões frias.

Local indicado: o uso da grama deve ser destinado a espaços ornamentais, como jardins e até vasos decorativos, uma vez que não tem alta resistência a pisoteios.

Plantio/manutenção: para plantar a espécie, é necessário levar em conta um clima quente ou frio, com pouca umidade e baixo índice pluviométrico. A resistência à seca é uma característica da espécie, que dispensa regas frequentes.

VERMELHA

Características: a principal característica deste tipo de grama é a coloração avermelhada em estilo arbusto, com folhas longas e finas.

Local indicado: o melhor local para usar a grama vermelha é na decoração de jardins, já que não resiste a pisoteios e torna-se uma espécie mais adequada para a ornamentação de espaços sem fluxo.

Plantio/manutenção: o plantio deve levar em conta uma região que tenha solo com boa drenagem e frio ameno, já que o gramado não resiste a geadas. O ideal para plantar a grama é considerar um espaço a luz direta do sol ou meia sombra. Já a manutenção dispensa podas frequentes e a rega deve ser variada para não deixar o solo encharcado.